sábado, 11 de setembro de 2010

Porto Alexandre (Tombwa): rua e habitações (vivendas)





Créditos de Imagem:LaySilva in Sanzalangola


3 – O Rio de Ombera
O Kuroka – dizia meu tio
seco a maior parte do ano,
não deixa de ser um rio.

Na noite sem dono do Deserto
vêem-se os relâmpagos na Huíla
da chuva que há-de ser rio.

Entre janeiro e março
pode bem ser que o Kuroka,
tenha os flancos rasos d’água.

Namibiano Ferreira


Sem comentários: